O que é Qi Gong

O que significam as palavras Qi e Gong?

A física moderna já estabeleceu o facto de que toda a matéria no universo, desde o pequeno átomo, até planetas e estrelas, consiste em energia que vibra em várias frequências. Essa energia, que é a matéria principal do universo, é o que os Chineses chamam de Qi.

De acordo com a medicina chinesa, Qi é a essência que anima e flui em todos os seres vivos. Tudo o que morre já não tem Qi.

Uma pessoa saudável tem mais Qi do que uma que está doente, no entanto, ter saúde vai além de ter abundância de Qi. A saúde implica que a energia no corpo seja límpida e que flua suavemente, sem estagnações ou bloqueios.

Essa é também a energia de vida que se sente na natureza. Quando apreciamos a beleza dos animais, árvores, montanhas, do mar ou dos rios, estamos a sentir a sua energia, o seu Qi, e intuitivamente sentimos a nossa ligação inquestionável com o mundo que nos rodeia.

O ser humano faz parte da natureza e partilha o Qi com tudo o que existe no planeta.

É através da energia que assimilamos no dia a dia, que os poderes da natureza e do universo influenciam todo o sistema humano. O Qi Gong proporciona ao praticante uma forma de nutrir e mobilizar essa energia vital no corpo, a fim de aproveitar esses poderes para promover a saúde e prolongar a vida.

Gong significa trabalho ou benefícios adquiridos através da prática e da persistência. Assim, Qi Gong significa trabalhar com a energia da vida, aprender a controlar o fluxo e distribuição de Qi para melhorar a saúde e harmonia da mente e do corpo.

Qi Gong é um sistema integral de exercício de autocura, uma prática antiga em constante evolução que inclui posturas de cura, exercício físico, automassagem, técnicas de respiração e de meditação.

Através destes métodos, o Qi límpido (energia pura) é acumulado e armazenado no corpo. O Qi impuro ou poluído é purificado e transformado em Qi puro e curativo de forma a prevenir e tratar as doenças.

O objectivo de algumas práticas de Qi Gong é libertar e eliminar esse qi poluído (muitas vezes chamado de energia perversa) de uma forma semelhante à respiração. Na respiração é absorvida energia pura e oxigénio e libertado o dióxido de carbono poluído. Tal como uma respiração adequada melhora essas trocas, com Qi Gong as trocas de energia pura ou impura tornam-se mais eficientes.

O Qi Gong é chamado de prática ou treino porque, ao contrário de um tratamento, não é “prescrito” por um período limitado de tempo, mas sim, praticado diariamente. Isso é fácil de fazer e manter porque o qi gong é agradável de praticar e não requer uma grande despesa de tempo ou dinheiro. Os alunos geralmente praticam uma média de 20 a 40 minutos por dia. Não há necessidade de equipamento especial ou um grande espaço de treino.

Qualquer pessoa pode praticar Qi Gong. Existem técnicas adequadas a todas as idades e condições físicas. O Qi Gong inclui métodos de pé, sentado e deitado. Com apenas pequenos ajustes na técnica, é possível praticar os exercícios que normalmente se fazem de pé, numa posição sentada ou deitada. Isso faz do Qi Gong o exercício ideal para as pessoas com mobilidade reduzida ou incapacidade física.

As categorias do Qi Gong

As técnicas estão divididas em duas categorias: 

Dong Gong

Qi Gong dinâmico, onde o corpo inteiro se move suavemente de uma postura para outra como se realizasse uma dança. O Dong Gong é o tipo de Qi Gong mais popular tanto na China como no Ocidente. É Yang, activo, camuflando o Yin, passivo. Externamente há movimento, mas internamente a mente está tranquila, em repouso e em paz.

Jing Gong

Qi Gong estático, onde o corpo está parado numa dada posição, normalmente uma postura de árvore. O Qi é controlado através da concentração mental, visualização e métodos específicos de respiração. Jing Gong externamente é Yin (tranquilo) mas internamente é Yang pois apesar do corpo estar quieto, a respiração cria movimento e a mente está alerta e activa, prestando atenção ao Qi.

Concluindo, Qi Gong dinâmico é exercício físico e Qi Gong estático é meditação. Os dois são complementares, pois o movimento sem repouso esgota a energia e repouso sem movimento provoca torpor e enfraquece o corpo.

Utilizações do Qi Gong

Saúde – Qi Gong Terapêutico

A razão mais importante para a prática do Qi Gong é ajudar a prevenir doenças e a melhorar a saúde.

O Qi Gong terapêutico, quer seja aprendido através de livros, de vídeos ou com um professor profissional, pode ser praticado como um sistema completo de autocura. 

Muitos médicos na China prescrevem, além dos medicamentos e tratamentos necessários, o Qi Gong terapêutico como complemento para que o paciente recupere mais rapidamente e adquira as competências necessárias para cuidar da sua própria saúde.

Esta forma de Qi Gong, durante a prática leva em consideração as funções dos meridianos, da energia essencial (Jing), da energia vital (Qi), do Espírito (Shen), dos líquidos orgânicos, circulação sanguínea e funcionamento dos órgãos. Alguns métodos são específicos para tratar determinadas doenças, outros são aplicados de acordo com o estado de saúde da pessoa.

Meditação – Espiritualidade

No Qi Gong meditativo ou espiritual (Jing Gong) o estudante foca-se em desenvolver  um estado mental claro e tranquilo, para um maior autoconhecimento e consciência de si próprio mais profunda e em harmonia com a natureza.

O Qi Gong meditativo é muitas vezes dividido em duas escolas, a Budista e a Taoísta reflectindo cada uma delas respectivamente, as filosofias Budista e Taoísta.

Budismo e Taoísmo

O Qi Gong Taoísta está ligado à medicina tradicional chinesa. Tem como principal objectivo controlar as emoções e cultivar “Os Três Tesouros da Vida” – Jing, Qi e Shen – promovendo uma alquimia interna, de forma a aumentar e conservar a essência da vida ou energia original. Foca-se também nos mistérios da vida humana e a sua relação com a natureza.

O Qi Gong Budista foca-se no vazio, a sua prática conduz à purificação do coração para alcançar a sua pureza original. Procura também dissipar todas as ilusões criadas pelo espírito e atingir o estado de alegria interno.

Apesar destas diferenças a distinção entre as duas escolas é um pouco vaga, sendo que ao longo da história se foram influenciando mutuamente. 

O mesmo acontece com o Qi Gong terapêutico. Os praticantes de Qi Gong meditativo e terapêutico partilham um objectivo comum, cultivar o corpo e o espírito. Como a mente e o corpo se influenciam mutuamente, é impossível ter um corpo realmente sadio sem uma mente saudável e vice versa. Por isso, normalmente as posturas estáticas (meditativas) são executadas como complemento aos exercícios dinâmicos do Qi Gong terapêutico.

Confucionismo

O Qi Gong Confucionista tem como objectivo melhorar o carácter, aconselha deixar a vida correr como um rio e afastar todas as ideias negativas para que se cultive uma energia pura e sã. Confúcio (filósofo Chinês) ensinou a importância de um comportamento ético e de relações interpessoais harmoniosas. 

No Qi Gong é dada ênfase à crença tradicional Chinesa de que se um indivíduo for saudável, é mais provável que apresente um comportamento integro. “Se cuidares de ti estás mais inclinado a cuidar dos outros, se pelo contrário abusas de ti, muito provavelmente irás abusar dos outros”.

O Qi Gong Confucionista é mais uma orientação do que propriamente uma escola. Os praticantes confucionistas treinam as mesmas técnicas que os de outras escolas, o seu objectivo porém, baseia-se no cultivo do carácter, na benevolência, na sinceridade, respeito e outras virtudes.

Artes Marciais

O Qi Gong marcial refere-se às artes marciais Chinesas – Wushu – Apesar do treino se basear em exercícios de Qi Gong que melhoram a capacidade de ataque e defesa, as técnicas podem melhorar também o desempenho em outras actividades desportivas.

O treino dá bastante ênfase à parte energética do corpo, fortalece ossos, músculos e tendões. O objectivo é fortalecer o corpo e sobretudo resistência às agressões exteriores, sejam elas golpes (das artes marciais) ou doenças. 

Nos Negócios

Nos dias de hoje começam a surgir novas utilizações para o Qi Gong. No mercado de trabalho muitas empresas começam a promover o Qi Gong para os colaboradores, de forma a reduzir os níveis de stress, a manter uma saúde equilibrada e a aumentar a produtividade.

De acordo com os testemunhos de quadros elevados de grandes empresas e corporações, como a Sony ou a Sega, a prática de 20 minutos por dia melhora o foco e a concentração nas negociações, ajudando a tomar decisões mais acertadas e concisas, uma tarefa complicada quando o risco é elevado. 

Cultivar e manter o Qi é como o dinheiro, o sucesso requer capacidade de acumular, manter e reabastecer a fonte principal. O Jing, a essência original armazenada no corpo é como o dinheiro numa conta a prazo, podes ir gastando o valor dos juros e podes ir reforçando a conta com mais dinheiro, o que não podes nunca, é mexer na base. O mesmo se passa com a nossa energia, temos que a manter, cultivar e nutrir para não necessitar de ir buscar o que está armazenado.

Paz Interior

Desde os tempos primitivos que os seres humanos estão sujeitos a variadas formas de stress que enfraquecem e causam desgaste no corpo. O stress sempre fez parte da vida e a evolução e desenvolvimento simplesmente alteraram os factores.

O homem primitivo tinha stress por falta de comida ou abrigo, estava vulnerável às mudanças do tempo, doenças, incapacidade física, etc. A sociedade de hoje tem outras preocupações e apesar da abundância e todas as facilidades, sofre de níveis de stress excessivos e até destrutivos.

Hoje em dia as causas de stress são imensas: a hipoteca da casa, prestação do carro, ter boas notas na escola, as relações entre patrões e empregados, a economia nacional e mundial, a política, a religião, o dia que só tem 24 horas e não chega, a falta de sono e descanso, os excessos alimentares, o novo Covid e a perda de liberdades… Juntando tudo isto às alterações climáticas, poluição das águas e solos, alimentação pobre em nutrientes e o ruído constante, o estado das coisas não é agradável. 

Apesar de nos termos habituado a todos estes factores e a esta forma de viver, a realidade é que esses factores influenciam bastante a nossa saúde física e mental.

O stress cria tensão na mente e no corpo. Quando não conseguimos alterar as nossas circunstâncias, temos tendência a interiorizar a nossa frustração que se irá manifestar como tensão muscular. Essa tensão vai criar bloqueios e estagnações de energia no corpo, impedindo o fluxo de Qi. Deixam de haver trocas, o Qi puro não entra livremente e o tóxico não é purificado nem libertado. Isto pode levar ao surgimento da dor ou de doenças.

Está provado por diversos estudos e pesquisas científicas que altos níveis de stress contribuem para a hipertensão arterial, enxaquecas, problemas digestivos, artrite, problemas de coração, cancro e doenças respiratórias.

Quando está sob stress contínuo o sistema nervoso encontra uma forma de lidar com a situação e normalmente é dessensibilizar. Deixamos de ouvir as buzinas dos carros, ignoramos a poluição automóvel e das fábricas e em ambientes superlotados como as cidades, acabamos por perder também a sensibilidade em relação aos sentimentos dos outros. Além de que, muitas das vezes, para esquecer ou evitar os próprios problemas, bebemos, fumamos ou vemos televisão demais.

É evidente que muitos dos stresses a que estamos sujeitos estão fora do nosso controlo, mas se não conseguimos controlar o ambiente externo, é imperativo que façamos um esforço para controlar e manter a saúde do nosso ambiente interno. Se não conseguimos mudar ou afastar-nos de uma situação stressante, ao menos que consigamos controlar a nossa forma de reagir a ela.

O Qi Gong, é um treino sistematizado para o equilíbrio físico e psicológico. Ensina-nos a lidar de forma inteligente com o stress, mantendo o corpo relaxado e a nossa energia interna forte e saudável.

Além disso, ensina a desenvolver a capacidade de equilibrar a saúde e de regular o fluxo e movimento da energia curativa no corpo e na mente. 

As coisas até podem estar complicadas e difíceis lá fora, mas podemos fazer muito para criar paz e tranquilidade cá dentro.

Conclusão

Todas as utilizações do Qi Gong estão ligadas entre si. Uma mente saudável cria um corpo saudável e vice versa. Boa saúde dá a força necessária para as artes marciais ou outra actividade desportiva e pode diminuir a gravidade das lesões. As artes marciais ensinam uma boa postura, corrigem a respiração e melhoram a saúde. Uma mente clara e calma e um corpo forte dão auto confiança, auto controle e um comportamento mais ético. Além disso, uma boa saúde física e mental ajuda a atingir as metas financeiras.

Qualquer técnica de Qi Gong pode ser utilizada para uma variedade de objectivos, dependendo da intenção do praticante. Uma pessoa pode praticar para tratar a hipertensão arterial, enquanto outra pode querer emagrecer. Outra pessoa pode usar os mesmos exercícios para fortalecer o corpo ou para aumentar a sua ligação com Deus.

O Qi Gong é a arte e ciência de saúde e gestão de energia, a prática desenvolve competências para uma grande variedade de propósitos.


Tens 30 minutos para praticar?

Experimenta

Experimenta duas aulas de Qi Gong terapêutico onde fazes exercício suave, acalmas a mente, aprendes a colocar o corpo e a respirar. Cuida de ti!